Related Questions

Deus me perdoa por meus erros ou Deus castiga?

Deus nos pune quando fazemos algo errado?

Se uma pessoa roubasse hoje, sua ação de roubar seria o karma visível. O fruto deste karma virá nesta própria vida; ele será desonrado e punido.

Mas não é Deus quem o pune!

Deus nunca impõe nenhum castigo a ninguém, nem recompensa ninguém. A punição ou recompensa que recebemos é resultado de nossos próprios karmas (causas). E esse resultado nos é dado pela Natureza.

O administrador da justiça neste mundo é essa entidade mecânica, não-viva, isto é, a Natureza, cujas leis são tais que, automaticamente obtemos o efeito dos karmas que nós mesmos vinculamos. Se nós vinculamos karmas ruins, temos que sofrer. E se vinculamos bons karmas, experienciamos felicidade. É assim que a lei da natureza regula o mundo. Nem por um único momento o mundo fica sem regulamentação.

Para Deus, não existe certo ou errado, bom ou ruim; portanto, Deus nunca interfere em nada disso. No entanto, crer que Deus é a Autoridade Superior que nos castiga quando somos culpados; nos faz viver com medo de Deus. Em vez de temer a Deus, deveríamos ter medo de cometer erros, pelos quais temos que sofrer e suportar a punição.

Então, por que as pessoas nos aconselham dizendo que "Deve-se temer a Deus"?

Para responder a essa pergunta, vamos entender o que significa temer a Deus:

O que significa temer a Deus?

Temer a Deus significa manter um respeito saudável por Deus, o que é bom, porque gera um compromisso sincero em obedecer às Suas palavras e seguir o caminho que Ele mostrou. Embora pareça que alguém teme a Deus, seu medo na verdade denota sua imensa reverência a Deus. Ele mostra seu desejo de viver a vida de acordo com os desejos de Deus e não de acordo com seus próprios caprichos e fantasias. Também denota o quão ternamente ele deseja agradar a Deus, a quem ele mais ama; e, portanto, teme ofendê-Lo de qualquer maneira.

Deus me perdoa pelos meus erros?

Por mais cuidadosos que sejamos, nós cometemos erros. No entanto, Deus não precisa nos perdoar, porque Ele nunca nos vê como certo ou errado. Deus é a Alma Pura que reside em todos os seres vivos, é Aquele que imparcialmente Conhece e vê tudo, isso é tudo!

Mas você sabe que adotando a abordagem de três etapas de pedir perdão, através pratikraman, com o testemunho de Deus, podemos nos livrar das raízes dos nossos erros, os quais nos trazem sofrimento?

Vamos ver como...

Digamos que uma pessoa roubasse hoje. Agora, não defendendo ou ocultando seu erro diante de Deus, se ele, com uma intenção pura:

  • Faz uma confissão sincera de seu erro (aalochna) dizendo: ‘Oh Senhor! Confesso que roubei ',
  • arrependidamente pede perdão (pratikraman) dizendo: ‘Oh Senhor! Peço perdão' e
  • sinceramente pede a força de Deus para manter seu juramento de nunca repetir o erro (pratyakhyan) dizendo: ‘Oh Senhor! Por favor, conceda-me a força para nunca mais roubar';

fazendo isso, sua antiga crença de que "não há nada errado em roubar" começa a mudar para "roubar é errado".

Qualquer erro cometido é resultado de uma crença errada. Mudar uma crença é a maior conquista. Uma vez que a crença muda completamente dentro da pessoa, ela deixa de ser o ofensor da Natureza e, portanto, a Natureza não o punirá.

Pratikraman ajuda a destruir a 'raiz do nosso karma de demérito' (ou seja, nossa crença) que resultou em cometer esse erro. Quando a raiz é destruída, significa que não cometeremos tal erro novamente.

Portanto, quando cometemos um erro, e em vez de ficarmos com medo, se escolhermos fazer imediatamente o pratikraman, então mesmo um enorme karma se tornará como uma corda queimada que se rompe ao menor toque. Enquanto que, se falharmos em fazer pratikraman, nós continuaremos vinculando cada vez mais karmas negativos e continuaremos sendo punidos. A escolha é simplesmente nossa!

×
Share on
Copy